2017 está chegando e muitas empresas estão buscando melhorar cada vez mais seus controles. Sua empresa também está nessa situação? Listamos 5 dicas para você iniciar o ano sob uma nova perspectiva.

Business Intelligence é um conjunto de conceitos, ferramentas e aplicações que permitem analisar e medir dados a fim de que possam:

Descobrir tendências;
Encontrar padrões;
Criar propostas de planejamento;
Analisar histórico de dados;
Comparar, agrupar e consolidar dados de diversas fontes .

Com esse conceito um pouco mais claro, vamos começar:

Dica 1: Identifique qual a motivação

Por diversos motivos uma empresa deseja iniciar a análise de seus dados. Um deles é a vontade de continuamente monitorar a saúde e performance do negócio. Outro ponto é que organizações tem gerado e armazenado grandes quantidades de dados em diversos sistemas e, com o passar do tempo, fica difícil cruzá-los. E, muitas empresas desconfiam que exista algo errado e por meio do BI descobrem que um processo precisa melhorar.

Dica 2: Saiba o que quer medir

Na maioria das vezes, o dono na empresa, CEO ou gestor de alguma área inicia uma série de perguntas das quais não obtém respostas ou elas demoram muito a chegar. Por exemplo: Qual o custo de aquisição do cliente da minha empresa?
São diversas perguntas que podem ser feitas e que variam de acordo com o mercado de atuação. Identifique suas perguntas iniciais e pense como poderá obter essas respostas.

Dica 3: Nomeie um profissional ou área responsável

É muito importante ter um profissional ou área designada para “cuidar” da análise de dados. O ideal é ser uma analista de dados ou uma área de BI. O analista de dados coleta, processa e executa análises estatísticas de dados. Descobre como os dados podem ser usados para responder a perguntas e resolver problemas. Outras atribuições do analista:
– determinar objetivos organizacionais;
– limpar e remover dados para descartar informações irrelevantes;
– interpretar resultados usando ferramentas;
– identificar tendências e correlações em um conjunto de dados;
– identificar novas oportunidades de melhoria de processos;
– fornecer relatórios e visualizações de dados para gerenciamento.

Empresas maiores optam pela criação de uma área específica de BI, que acaba se tornando um centro de competência em BI, trabalhando lado-a-lado com a área de TI e as áreas de negócio. Na maioria das vezes, as atribuições da área são:
– definir necessidades do desenvolvimento de aplicações;
– definir o planejamento do que será executado durante o ano;
– escolher a ferramenta;
– identificar os stakeholders;
– disseminar a cultura de BI.

Dica 4: Escolha a ferramenta adequada

Existem diversas ferramentas de BI no mercado, geralmente as empresas fazem rodadas de conversas e apresentações com os fornecedores, consomem os materiais disponíveis na internet, fazem toda uma pesquisa prévia para saber qual a ferramenta mais adequada às necessidades da empresa e ao planejamento financeiro estipulado.
Geralmente contratam a empresa fornecedora para capacitar a equipe, realizar consultoria especializada e para apoiar a equipe de BI em diversos projetos.

Dica 5: Estabeleça uma Cultura de BI

BI não passará de mais uma ferramenta, se sua empresa não considerar a melhoria dos processos e das pessoas. O que isso quer dizer? É importante definir um conjunto de processos, pessoas e tecnologias, que visa estruturar e administrar os ativos de informação com o objetivo de apoiar na tomada de decisão.
As pessoas devem estar preparadas e com responsabilidades claras para identificar os dados que realmente serão utilizados no dia a dia. É necessário pouco a pouco, disseminar a Cultura de BI através da transparência e divulgação das informações e treinamentos para áreas específicas. Com o passar do tempo e com a disseminação dessa cultura, ficará muito mais fácil inovar, identificar pontos de estagnação e crescer em um mercado competitivo.